Só ter um site não basta

Lembro de quando eu conheci a internet, utilizando meu computador Positivo com processador Celeron e meus 40GB de HD. O sistema operacional Windows Starter Edition não deixava eu abrir mais do que 2 janelas por vez no computador, provavelmente para não comprometer a memória limitada de 256MB.

Naquela época as pessoas ouviam o barulho do discador de internet, entravam na internet aos finais de semana e nos dias de semana após a meia-noite para poder acessar a internet de forma mais barata. O Google não era tão popular nessa época.

Lembro muito bem que eu acessava o bate-papo da UOL, o site charges e o hotmail.com.

Era comum as pessoas abrirem o esquecido Internet Explorer e escreverem o nome do site corretamente no campo de URL para acessá-los.

Mas hoje, isso mudou totalmente.

Você só escreve a URL de um site no seu navegador de internet quando você já conhece a empresa e, se a empresa já é conhecida, você pode encontrar ela por outros meios, como Facebook, Instagram ou o Google Meu Negócio.

Olhando por este lado, 90% das empresas que possuem um site na internet e não utilizam nenhum meio de divulgação recebem visitas apenas daqueles que já conhecem sua empresa, e de certa forma, seu site está servindo apenas para convencer aqueles que já te conhecem e não para trazer novos clientes que precisam do seu produto ou serviço.

Agora, vamos abordar um outro ponto.

Eu, Wellington, preciso ir a um dentista, mas não conheço nenhum.

Eu vou no Google e pesquiso “Dentista em Criciúma” (como provavelmente 70% da população faz atualmente).

O Google irá me retornar 10 resultados em cada uma de suas páginas, sendo que as pessoas costumam clicar apenas nos 3 ou 4 primeiros resultados da primeira página.

Minha pergunta é: todos os dentistas que possuem sites em Criciúma irão aparecer no meio desses resultados quando eu pesquisar?

Na verdade, não… Se 30 dentistas possuem sites, talvez 1 ou 2 irão aparecer nos primeiros resultados.

Sabe o porquê disso?

Esses sites foram apenas criados, e nunca otimizados para serem encontrados.

O Google retorna resultados de acordo com as palavras escritas em seu site, se você não escreve o conteúdo do seu site da maneira como as pessoas pesquisam, elas nunca irão encontrar seu site. Talvez, a melhor coisa em se ter um site seja apresentar seu produto ou serviço para quem ainda não te conhece, mas precisa do seu produto (principalmente se sua empresa ainda não é conhecida no mercado).

Então, sempre que for pensar em criar um site para sua empresa, pense no seguinte:

“Como eu vou levar as pessoas até meu site” ou “Como as pessoas costumam buscar pelo meu produto?”.

Afinal, ter um site e não ter acessos de pessoas interessadas é como não ter um site.

Se você tem um site e está usando ele apenas de decoração, comece a pensar nas formas de levar pessoas para ele.

Para isso você pode utilizar:

Otimização para mecanismos de buscas (SEO): otimizar as palavras escritas no seu site e escrever artigos com termos que as pessoas costumam utilizar para buscar seu produto.

Google Ads: pagar o Google para que ele coloque seu site no topo da pesquisa quando as pessoas procurarem por um determinado assunto ou palavra.

Facebook Ads e Instagram Ads: pagar o Facebook/Instagram para que uma publicação sua alcance pessoas de um determinado local, idade ou sexo com interesses no seu produto.

Produzir conteúdo gratuito na internet: utilizando seu próprio site, um blog, páginas no Facebook, Instagram Stories, LinkedIn, Podcasts ou canais no YouTube. Tirando dúvidas pertinentes sobre seu produto/serviço ou oferecendo tutoriais e dicas sobre eles.

Existe uma infinidade de maneiras de você “ressuscitar” seu site e começar fazer com que o investimento nele não tenha sido em vão.

Lembro sempre de uma citação que li há alguns anos.

“De que adianta um site bonito, se ele não pode ser encontrado?”

Recomendados para você